Aumentar a imunidade pode ser um escudo e uma delícia



Especialista: Maria Paula - Nutricionista


1. Estamos todos participando da luta contra a propagação do COVID-19. Tratando- se de um vírus, imaginamos que se tornarmos o nosso sistema imunológico mais eficaz, poderemos dificultar a contaminação. Como a alimentação pode ser a nossa aliada nesse processo?

Uma boa imunidade é composta por uma alimentação rica em fibras, alimentos integrais e naturais, sono adequado, atividade física e estilo de vida, mas existem algumas vitaminas e minerais que são os pilares quando pensamos em imunidade:

- Vitamina D: sua maior fonte é o sol, mas em alguns casos podemos pensar em suplementações também, desde com acompanhamento nutricional;

- Zinco: as fontes são as sementes, chocolate amargo, amendoim, castanhas, feijões e grão de bico;

- Vitamina A: os alimentos alaranjados são ótimas fontes de vitamina A, como abóbora e cenoura por exemplo, mas espinafre, manga, mamão e melancia são boas fontes também;

- Vitamina C: uma das vitaminas mais citadas quando o assunto é imunidade, as fontes alimentares são as frutas cítricas, como laranja e limão, por exemplo, assim como brócolis, goiaba, mamão e acerola.


2. Para as pessoas que precisam fazer algum tipo de dieta – por motivos de doenças, perda de peso, ganho de massa, etc. – quais cuidados devem tomar em relação a estas restrições alimentares?

O maior cuidado é procurar um profissional Nutricionista para poder ajustar todas as necessidades de forma individualizada.


3. O isolamento tem feito com que o número de pessoas que sofrem por estresse, ansiedade e depressão, aumente. Em alguns casos, parte desses transtornos são direcionados à alimentação, seja por excesso ou falta de apetite.

Como controlar esse comportamento?

Quais alimentos podem ajudar a aumentar a produção dos nossos hormônios da felicidade?


Primeiramente precisamos entender qual é o gatilho que está fazendo com que essa pessoa desconte suas emoções na comida, para que então possamos começar um tratamento, que pode e deve ser multiprofissional. Praticar mindful eating, ou comer com atenção plena, nas refeições pode ser de grande importância, pois essa ferramenta consiste em comer com plena atenção no que você está fazendo, sentindo todas as texturas, aromas e lembranças que essa comida te traz. Tentar identificar se a fome é emocional ou física também é essencial para que possa lidar melhor com isso, uma vez identificado que é fome emocional, recomendo que saia da cozinha, se distraia, dança, leia, ligue pra alguém e o principal: faça terapia. Para aumentar os hormônios da felicidade, recomendo consumo de óleo de linhaça, pois é fonte de ômega 3, banana, devido ao triptofano, frutas de forma geral, castanhas, aveia, soja não transgênica e chocolate amargo.


4. Como podemos incentivar as crianças a se alimentarem melhor?

As crianças são reflexo dos pais ou cuidadores, então é importante que todos os familiares tenham bons hábitos alimentares para que essa criança tenha em quem se espelhar de forma positiva. Trazer as crianças para a cozinha também pode despertar curiosidade e interesse por alimentos diferentes, assim como fazer pratos lúdicos e coloridos.


5. Você poderia nos recomendar aplicativos ou canais nas redes sociais que nos auxiliem com receitas e dicas para aumentar a imunidade?

Em meu Instagram eu compartilho dicas sobre alimentação, receitas nutritivas, conservação correta de alimentos, desvendo alguns mitos sobre nutrição, entre outras coisas. Para os interessados em vegetarianismo, tenho um grupo no Telegram.

33 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo